Calenda de Natal

Calenda de Natal
Anúncio solene do Natal

Na proximidade do Natal do Senhor, voltamos a sugerir a valorização da “Calenda” de Natal. Este «anúncio solene», segundo a descrição do Martirológio Romano (edição oficial Portuguesa de 2013), pode cantar-se segundo as melodias aí publicadas. Foram em 2017 publicadas online, na página do Secretariado Nacional de Liturgia, e podem ser encontradas no fim desta publicação.
A Calenda de Natal situa o Mistério da Incarnação no contexto da história do cosmos (Criação do mundo e Dilúvio), da história do Povo de Deus (Abraão, Êxodo, David) e da história universal (olimpíadas, fundação de Roma e império de Augusto). O Natal é uma consagração do mundo e da história humana com horizontes ecuménicos de uma abertura verdadeiramente universal.
A Calenda cantava-se na Hora de Prima, suprimida na reforma litúrgica. Atualmente, a leitura do Martirológio está prevista para o final das Laudes, a seguir à oração conclusiva da Hora, ou para o final de qualquer Hora Menor (Martirológio, p. 27, n. 1, 5). No Natal, porém, o Martirológio propõe o canto do anúncio solene do Natal no ofício de Vigília (pág. 27) que, desejavelmente, deve preceder a Missa da Noite (cf. rubrica no final do Ofício de Leituras do Natal do Senhor). A Calenda seria o último elemento desse Ofício, seguindo-se a Procissão de entrada da Missa, a qual prosseguiria com o canto do Glória (omitindo-se os demais ritos iniciais da Missa) e a Oração Coleta. Como veremos, este foi o modelo seguido no Pontificado de Bento XVI.
Quanto à celebração em que se cantam as calendas, as hipóteses são múltiplas:
  1. a) O Martirológio Romano prevê que seja na «vigília de Natal» (pág. 28, nº 8). Segundo a regra, o «elogio» do Martirológio recita-se ou canta-se após a oração conclusiva de Laudes ou de uma Hora Menor do dia precedente (24 de dezembro). Nas comunidades religiosas com celebração coral da LH, pode manter-se esse uso.
  2. b) No Pontificado de Bento XVI, na Basílica de São Pedro, a regra era fazer preceder a Missa da Noite da celebração comunitária do Ofício de Leituras. No final deste, cantava-se a Calenda. A celebração da Missa prosseguia, conforme prescreve a Liturgia das Horas, com o canto do Glória a Deus nas Alturas, que substitui o Te Deum (ver rubrica em Liturgia das Horas, vol. I, no fim do Ofício de Leitura do Natal do Senhor). Esta modalidade, pela sua coerência e integridade, parece ser de preferir nas comunidades onde a Missa da Noite de Natal seja precedida da celebração comunitária do Ofício de Leitura.
  3. c) No Pontificado de João Paulo II, a Calenda era cantada nos ritos iniciais da Missa da Noite de Natal, na Basílica de São Pedro no Vaticano. Após a saudação e monição inicial, cantava-se a Calenda. Terminada esta, entoava-se o Glória a Deus nas alturas, omitindo-se o Ato Penitencial e o Kyrie. Esta parece-nos ser a opção mais indicada para a generalidade das comunidades em que não há celebração comunitária do Ofício de Leituras antes da Missa da Noite de Natal.
  4. d) No Pontificado atual, do Papa Francisco, a Calenda tem-se cantado no início da Missa da Noite, na Basílica de São Pedro, quando a Procissão de Entrada chega diante do Altar da Confissão (altar-mor desta Basílica). Interrompe-se o cântico de entrada e canta-se a Calenda. No final desta, descobre-se uma imagem do Menino, colocada em lugar de destaque. Depois, a procissão de entrada prossegue com a saudação e incensação do altar, etc.


O canto da Calenda pode ser executado por um cantor, ou por um diácono, ou até, na falta dessas alternativas, pelo próprio sacerdote que preside à celebração (se for capaz de o fazer de forma condigna!). Quanto ao lugar para o canto, em analogia com o Precónio Pascal e o Anúncio das Festas Móveis (na Epifania), parece adequado ser o ambão. É o lugar do «Hoje» da Palavra. Entretanto, se houver reticências a esta sugestão, prepare-se uma estante para o cantor, em lugar visível e, se necessário, devidamente sonorizado.
Uma particularidade do canto da Calenda é a de fazer uso (ainda que facultativo, segundo Instrução Geral do Martirológio Romano) do Calendário Lunar para anunciar os dias. Trata-se de uma referência ao calendário judaico, que conta os dias do mês a partir do primeiro dia da lua nova. Por isso, neste ano o dia 25 de dezembro é o 29º do mês lunar judaico, isto é, o 29º dia desde que iniciou-se a lua nova.
Transcrevemos aqui o texto oficial:
«Dia 8 das Calendas de Janeiro. Lua vigésima nona. Passados inumeráveis séculos desde a criação do mundo, quando no princípio Deus criou o céu e a terra e formou o homem à sua imagem; depois de muitos séculos, desde que o Altíssimo pôs o seu arco nas nuvens como sinal de aliança e de paz; vinte e um séculos depois da emigração de Abraão, nosso pai na fé, de Ur dos Caldeus; treze séculos depois de Israel ter saído do Egipto, guiado por Moisés; cerca de mil anos depois que David foi ungido rei; na semana sexagésima quinta, segundo a profecia de Daniel; na Olimpíada cento e noventa e quatro; no ano setecentos e cinquenta e dois da fundação de Roma; no ano quarenta e dois do império de César Octávio Augusto; estando todo o orbe em paz, Jesus Cristo, Deus eterno e Filho do eterno Pai, querendo consagrar o mundo com a sua piedosíssima vinda, concebido pelo Espírito Santo, nove meses depois da sua conceição, nasceu em Belém de Judá, da Virgem Maria, feito homem: Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo a carne».
Fonte: SNL e Voz Portucalense



Desce o orvalho sobre a terra

DESCE O ORVALHO SOBRE A TERRA
Popular Frances / Harm.: J. Gelineau

Proposta de cântico de Advento a partir do cântico popular francês Vienne la rose, harmonizado por J. Gelineau. O texto original francês é da autoria de Olivier de la Brosse e foi adaptado para português pelo Pe. Manuel Simões, para uma das suas composições (Desce o Orvalho sobre a terra - NRMS 64).


Derramai ó céus [Maranatha!]

Derramai ó céus [Maranatha!]
Pe. Ferreira dos Santos - [ A. M. Seiça ]

Sugestão de cântico de entrada para o Domingo IV do Advento da autoria do Pe. Ferreira dos Santos. Primeiramente publicada no BML 18, apenas para uma voz, trata-se de uma obra já conhecida da maioria dos coros litúrgicos. Para além da obra original, publica-se também uma versão com as estrofes da autoria de Alberto Medina de Seiça, da Diocese de Coimbra.






Encontra-se seguidamente uma interpretação da obra pelo Coro da Diocese de Coimbra.

Domingo IV do Advento | Ano A

DOMINGO IV DO ADVENTO

22 de Dezembro de 2019 | Ano A

Antífona de Entrada


"Desça o orvalho do alto dos Céus e as nuvens chovam o Justo.
Abra-se a terra e germine o Salvador."
(Is 45, 8)

Desça o orvalho – Ar. Oliveira
Desça o orvalho – J. Santos (NRMS 15| IC, p. 72)
• Desça o orvalho – J. P. Martins (CN 346)
• Desça o orvalho – N. Costa (Libellus 4)
Desce o orvalho – M. Simões (NRMS 64| IC, p.73)
Desce o orvalho – Popular Francesa [harm.: J. Gelineau]
Derramai, ó céus – F. Santos (BML 18| NCT 23| CEC I, p. 22| NCT 23| CN 345)
Derramai, ó céus – F. Santos (BML 48)
• Derramai-vos ó céus – F. Lapa (Libellus 4)
• Abra-se a terra – M. Carneiro (GD, p. 33-37)
• Abra-se a terra – M. Luís (NCT 38| LHC II, p. 18-19| CN 168)
• Rorate Caeli – C. Gregoriano
[Outras Sugestões]
• Descei sobre nós orvalho divino – M. Luís (CAC, p.29-30| CN 347)
Quando virá, Senhor, o dia – Az. Oliveira (NRMS 39 | IC, p. 98-99)
Quando virá, Senhor, o dia – J. Mateus
Ó Infante suavíssimo – J.S. Bach / M. Luís (CAC, p. 46)

Salmo Responsorial


"Venha o Senhor: é Ele o rei glorioso"
(Salmo 23 (24), 1-2.3-4ab.5-6 (R. 7c e 10b))

• Venha o Senhor, é Ele o Rei glorioso
– Az. Oliveira (SRAO A, p. 16-17)
F. Santos (BML 23)
– M. Carneiro (SRMC A, p. 16-17)
– M. Luís (SRML, p.22)
• O Senhor virá: Ele é o Rei da glória
– Az. Oliveira (CSS, p. 18-19)

Aclamação ao Evangelho


Aleluia | A Virgem há-de conceber – F. Santos (BML 38)
• Aleluia – J. V. Boas

Antífona de Comunhão


"A Virgem conceberá e dará à luz um filho.
O seu nome será Emanuel, Deus-connosco."
(cf. Is 7, 14)

A Virgem conceberá – F. Santos (BML 38| BML 113-114| CEC I, p. 27-29| NCT 42| CN 162)
• A Virgem conceberá – M. Carneiro (GD, p. 38-40)
A Virgem conceberá – J. Mateus
Eis que uma Virgem conceberá – B. Sousa (CEC I, p. 24-25)
[Outras Sugestões]
• José, filho de David – A. Frade (LHC II, p. 230)
• José, filho de David – F. Santos (LHC II, p. 227)
• José, filho de David – F. Santos (CP I, p. 139)
• Não temas José – J. Geada

Para diversos momentos da celebração



• Abre, claro céu – M. Luís (LHC II, p. 24)
Abre, claro céu – S. Marques (NRMS 64| IC, p.67)
Abri as portas – C. Silva (OC, p.24| CN 169)
• Alegra-te, filha de Sião – C.Silva (OC, p. 282)
• Alegra-te, filha de Sião – F. Santos (LHC II, p.131)
• Alegra-te, filha de Sião – F. Silva (NRMS 95-96)
• Dai-nos o vosso Filho – M. Luís (CAC, p. 26)
• Exulta de alegria, Nova Sião – F. Santos (LHC II, p. 143)
• Exulta de alegria, Nova Sião – M. Luís (LHC II, p. 146)
Exulta, ó Filha de Sião – J. Santos (NRMS 68)
• Exultará a terra deserta – M. Luís (CAC, p.36-37)
• Maria, fonte da esperança – M. Luís (CAC, p. 42-43| NCT 53)
• Não temas Maria – A. Cartageno (LHC II, p.130)
• Não temas Maria – C.Silva (OC, p.286)
• Não temas Maria – F. Santos (LHC II, p.141)
Não temas Maria – F. Silva (NRMS 95-96)
• Não temas Maria – M.Carvalho (NRMS 39)
• Ó céus do alto rociai – Popular (CEC I 24| CN 673)
• Ó nuvens chovei o justo – F. Silva (NRMS 15| IC, p.91)
• Ó nuvens chovei o justo – F. Santos (NCT 453| LHC II, p.18)
• Ó nuvens chovei o justo – F. Santos (CP I, p.14)
• Ó nuvens chovei o justo – M. Simões (LHC II, p.19)
Ó Rei das nações – F. Santos (BML 94)
• O seu nome será Emanuel – J. P. Martins
• Santa Maria, Virgem gloriosa – C. Silva (NCT 73)
Sabei que o nosso Deus há-de nascer – M.Simões (NRMS 24 | CEC I, p.38)
• Vinde, Senhor, vinde salvar-nos – M. Luís (CEC I, p. 40| CAC, p. 68| CN 1011)
• Vinde, vinde, ó desejado – M. Luís (CEC I, p. 35| CN 1014)
Virgem Santa e Imaculada – M. Luís (CAC, p. 550-551| NRMS 15 | IC, p. 113-114| CN 1017)
• Rorate Caeli - E. Amorim (Libellus 4)

ver ainda: Tempo do Advento | Cânticos

Sugere-se, particularmente para o Final, o uso da Antífona Mariana do Tempo de Advento:
• Alma Redemptoris Mater – C. Greg (NCT 58| CN 204)
Santa Mãe do Redentor – F. Santos (BML 75)

Acender da vela da Coroa de Advento



«Trata-se de um suporte normalmente redondo (às vezes, também se vê com forma linear), revestido de ramos vegetais verdes, sobre o qual se colocam quatro velas, e o conjunto situa-se próximo do altar ou do ambão da Palavra. (...) Estas velas vão-se acendendo gradualmente, nas quatro semanas do Advento. (...) No Natal, pode acrescentar-se uma quinta vela, branca, até ao final do Tempo do Natal.» (Dicionário Elementar de Liturgia)
«A disposição de quatro velas numa coroa de ramos sempre verdes (...) tornou-se símbolo do Advento nas casas dos cristãos. A coroa de Advento, com o progressivo acender das quatro velas, domingo após domingo, até à solenidade do Natal, é memória das várias etapas da história da salvação antes de Cristo e símbolo da luz profética que, pouco a pouco, iluminava a noite da espera expectante até ao nascimento do Sol de justiça (cf. Ml 3,20; Lc 1,78).» (Directório sobre a Piedade Popular e a Liturgia, n. 98).

Sendo costume fazer-se a Coroa do Advento um pouco por todo o País, deixamos algumas sugestões para o momento em que, em cada domingo, se acende a vela da coroa:

Jesus Cristo, luz das nações – F. Santos (BML 23)
• Lúmen Christi, Ámen! – M. D. Duarte
• Ó luz de eterna formosura – F. Santos (BML 32| ENPL XIV)
O Senhor dará a coroa da justiça – F. Santos (SDLP)
• O Senhor vem e não tardará – M. Luís (CAC, p. 50| NCT, p. 26)
• O Senhor vem e não tardará – F. Santos (NCT, p. 25| CN 747)
• Vinde, Senhor (Vinde Jesus, brilhe no mundo) – I. Rodrigues
• Vinde, Senhor, a Igreja Vos espera – M. Luís (NRMS 4 | IC, p. 107)
Vinde! Vinde, Jesus – J. A. Nunes
[Outras Sugestões]
• A luz de Cristo – Az. Oliveira (NRMS 88| IC, p. 617-618| CEC II, p. 179| CN 143)
• A luz de Cristo – B. Salgado (NRMS 5-II| IC, p. 617)
• A luz de Cristo – M. Luís (CEC II, p. 183| NCT 370| CN 144) (Harm: João Santos; Harm: D. Faustino)
• Esta luz de Cristo – V. Pereira (ELC, p. 5)
Senhor tu és a luz – Az. Oliveira (NRMS 6-I| IC, p. 566-567| CEC II, p. 182| NCT 273| CN 917)


[Siglas]

[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[CAC] P. Manuel Luís – Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3ª ed-, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CEC II] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1999.
[CN] Cantoral Nacional para a Liturgia, Secretariado Diocesano de Liturgia, Porto, 2003.
[CP I] P. António Ferreira dos Santos – Canto Perene, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019.
[CSS] P. António Azevedo de Oliveira – Cantai Salmos ao Senhor, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019.
[ELC] Vitor Pereira (arranjos de José Joaquim Ribeiro) – Esta Luz de Cristo, Cânticos para a Liturgia, Paulinas.
[ENPL] Guiões dos Encontros Nacionais de Pastoral Litúrgica, Fátima.
[GD] P. Miguel Carneiro – Glória a Deus, Paulus Editora, Lisboa, 2006.
[LHC II] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 203.
[Libellus] Libellus, Libellus Usualis - Divulgação de Música Sacra.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[NCT] Novo Cantemos Todos, Editorial Missões, Cucujães,1990.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] P. Carlos da Silva – Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[SDLP] Secretariado Diocesano de Liturgia do Porto
[SRAO A] P. António Azevedo de Oliveira – Salmos Responsoriais: Ano A, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga, 1989.
[SRMC A] P. Miguel Carneiro – Eu Vos Louvarei, Senhor: Salmos Responsoriais – Ano A, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRML] P. Manuel Luís – Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.

Alegrai-vos sempre no Senhor

ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR
Pe. José Pedro Martins

Antífona de entrada do Domingo III do Advento musicada pelo Deão José Pedro Martins, da Diocese do Algarve. Encontra-se composta para coro a quatro vozes mistas. Publica-se seguidamente duas versões da mesma obra: a primeira é a versão original segundo o autor; a segunda versão foi publicada pelo Secretariado Nacional de Liturgia no livro Cânticos de Entrada e Comunhão, da qual a melodia da estrofe é da autoria do Pe. Borges de Sousa.





Encontra-se seguidamente uma interpretação da obra.


Aleluia [Domingo III do Advento]

ALELUIA [Domingo III do Advento]
F. Santos / A. M. Seiça

Sugestão de Aclamação ao Evangelho para o Domingo III do Advento. O melodia da Assembleia é da autoria do Pe. Ferreira dos Santos e a composição da estrofe é de Alberto Medina de Seiça.


I Bienal de órgão e Arte Sacra

I BIENAL DE ÓRGÃO E ARTE SACRA
Paróquia de São Martinho e Cedofeita

CONVITE


A Paróquia de São Martinho de Cedofeita está a comemorar o vigésimo aniversário do seu Grande Órgão de Tubos, construído pela firma suíça Orgelbau Kuhn AG, com a realização da I BIENAL DE ÓRGÃO E ARTE SACRA, na qual participam prestigiados organistas internacionais. À componente musical dos concertos, esta Bienal proporcionará ainda exposições, visitas e conferências. O concerto inaugural estará a cargo do prestigiado organista Olivier Latry, titular da Catedral de Notre Dame de Paris, a acontecer no próximo dia 12 de Dezembro às 21h30.
Reserve já o seu ingresso em: bienal.orgaoeartesacra.cedofeita@gmail.com

Santa Mãe do Redentor

SANTA MÃE DO REDENTOR
Pe. Ferreira dos Santos

Antífona Mariana do tempo do Advento, Alma Redemptoris Mater, musicada pelo Pe. Ferreira dos Santos. A obra, publicada no BML 75-76 e composta para uma voz, é uma excelente sugestão para cântico final ao longo deste tempo.


Domingo III do Advento | Ano A


Antífona de entrada


"Alegrai-vos sempre no Senhor.
Exultai de alegria: o Senhor está perto."
(cf. Filip 4, 4.5)

Alegrai-vos sempre no Senhor – Ar. Oliveira
Alegrai-vos sempre no Senhor – F. Santos (BML 38)
• Alegrai-vos sempre no Senhor – J. Gamboa
Alegrai-vos sempre no Senhor – J. P. Martins (CEC I, p. 20-21)
Alegrai-vos no Senhor – F. Fernandes (SPC | CEC I, p. 20)
• Alegrai-vos no Senhor – M. Carneiro (GD, p. 25-28)

Salmo Responsorial


"Vinde, Senhor, e salvai-nos."
(Salmo 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 (R. cf. Is 35, 4))

• Vinde Senhor, e salvai-nos (sl 145) – M. Luís (SRML, p. 20); M. Luís (CAC, p. 362); F. Santos (BML 38); Az. Oliveira (SRAO A, p. 14-15)
• Vinde Senhor, vinde salvar-nos (sl 145) – M. Carneiro (SRMC A, p. 14-15)

Aclamação ao Evangelho


Aleluia | O Espírito do Senhor está sobre mim – F. Santos / A. M. Seiça
• Aleluia | O Espírito do Senhor está sobre mim – F. Santos (BML 113-114)

Antífona de Comunhão


"Dizei aos desanimados: Tende coragem e não temais.
Eis o nosso Deus que vem salvar-nos."
(cf. Is 35, 4)

Dizei aos desanimados – Ar. Oliveira
Dizei aos desanimados – F. Santos (BML 43| CEC I, p. 20-21| CN 374)
• Tende coragem – M. Carneiro (GD, p. 29-32)
[Outras Sugestões]
• Entre os filhos de mulher – F. Santos (LHC III, p. 162)
• És Tu Aquele que há-de vir – A. Mendes (LHC II, p. 177)
És Tu Aquele que há-de vir – Ar. Oliveira
• És Tu Aquele que há-de vir – F. Santos (LHC II, p. 176)
• És Tu Aquele que há-de vir – F. Santos (CP I, p. 76)
Estando João Batista no cárcere – Ar. Oliveira
• Estando João Batista no cárcere – A. Mendes (LHC II, p. 172)
• Estando João Batista no cárcere – F. Santos (CP I, p. 69)
Não temas, Povo de Deus – F. Borda (NRMS 56| IC, p. 86)
• O Menino que nos nasceu – Ar. Oliveira
• O Menino que nos nasceu – Az. Oliveira (LHC III, p. 173)
• O Menino que nos nasceu – F. Santos (LHC III, p. 172)

Para diversos momentos da celebração



• Alegre-se o deserto – F. Santos (BML 150-151)
• Despertai adormecidos – M. Luís (NCT, p. 430)
• Despertai, Senhor, o vosso poder – M. Faria (NRMS 39| IC, p. 73,74)
• Eis que vem o nosso Rei – F. Silva (NRMS 95-96| IC, p. 832)
Eis que vem o nosso Rei – F. Santos (LHC II, p. 132)
• Eis que vem o nosso Rei – C. Silva (OC, p. 284)
• Eis que vem o nosso Rei – J. P. Martins (LHC II, p. 140)
Erguei-vos que vem o Senhor – F. Silva (NRMS 39| IC, p. 76)
Excelso criador dos grandes astros – M. Luís (CEC I, p. 38-39| NCT 52| LHC II, p. 15| CN 470)
• Excelso criador dos grandes astros – F. Santos (BML 63| NCT 452| LHC II, p. 16; ou CP I, p. 13)
• Maranatha – I. Rodrigues
• Maranatha (Derramai, ó céus) – F. Santos (BML 18| NCT 23| CEC I, p. 22; ou BML 48| NCT 23| CN 345)
• Marantatha! Vem Senhor Jesus! Aleluia! – F. Santos / A. M. Seiça
• Maranatha! Aleluia! – F. Santos (BML 28| CEC I, p. 32| NCT, p. 38| CN 603)
Maranatha! Vinde, Senhor Jesus – M. Luís (CAC, p. 41| CN 604)
• Maria, fonte da esperança – M. Luís (CAC, p. 43)
Povos que caminhais – J. Santos (NRMS 64| IC, p. 96 )
• Senhor, não tardareis em vir-nos salvar – M. Luís (CAC, p. 58)
Vem depressa, Senhor – M. Simões (NRMS 64| IC, p. 105 )
Vem, Senhor Jesus, vem salvar-nos – J. Santos (NRMS 64| IC, p. 105)
Vinde, Jesus – A. Morais (SDLGuarda )
Vinde, Senhor Jesus – B. Sousa (CEC I, p. 33)
• Vinde, Senhor, a Igreja Vos espera – M. Luís (NRMS 4 | IC, p. 107)
• Vinde, Senhor, vinde salvar-nos – M. Luís (CAC I, p. 70| CN 1011)
Sabei que o nosso Deus – M. Simões (NRMS 24 | IC, p. 99 | CEC I, 38)

ver ainda: Tempo do Advento | Cânticos

Sugere-se, particularmente para o Final, o uso da Antífona Mariana do Tempo de Advento:
• Alma Redemptoris Mater – C. Greg (NCT 58| CN 204)
Santa Mãe do Redentor – F. Santos (BML 75)

Acender da vela da Coroa de Advento



«Trata-se de um suporte normalmente redondo (às vezes, também se vê com forma linear), revestido de ramos vegetais verdes, sobre o qual se colocam quatro velas, e o conjunto situa-se próximo do altar ou do ambão da Palavra. (...) Estas velas vão-se acendendo gradualmente, nas quatro semanas do Advento. (...) No Natal, pode acrescentar-se uma quinta vela, branca, até ao final do Tempo do Natal.» (Dicionário Elementar de Liturgia)
«A disposição de quatro velas numa coroa de ramos sempre verdes (...) tornou-se símbolo do Advento nas casas dos cristãos. A coroa de Advento, com o progressivo acender das quatro velas, domingo após domingo, até à solenidade do Natal, é memória das várias etapas da história da salvação antes de Cristo e símbolo da luz profética que, pouco a pouco, iluminava a noite da espera expectante até ao nascimento do Sol de justiça (cf. Ml 3,20; Lc 1,78).» (Directório sobre a Piedade Popular e a Liturgia, n. 98).

Sendo costume fazer-se a Coroa do Advento um pouco por todo o País, deixamos algumas sugestões para o momento em que, em cada domingo, se acende a vela da coroa:

Jesus Cristo, luz das nações – F. Santos (BML 23)
• Lúmen Christi, Ámen! – M. D. Duarte
• Ó luz de eterna formosura – F. Santos (BML 32| ENPL XIV)
O Senhor dará a coroa da justiça – F. Santos (SDLP)
• O Senhor vem e não tardará – M. Luís (CAC, p. 50| NCT, p. 26)
• O Senhor vem e não tardará – F. Santos (NCT, p. 25| CN 747)
• Vinde, Senhor (Vinde Jesus, brilhe no mundo) – I. Rodrigues
• Vinde, Senhor, a Igreja Vos espera – M. Luís (NRMS 4 | IC, p. 107)
Vinde! Vinde, Jesus – J. A. Nunes
[Outras Sugestões]
• A luz de Cristo – Az. Oliveira (NRMS 88| IC, p. 617-618| CEC II, p. 179| CN 143)
• A luz de Cristo – B. Salgado (NRMS 5-II| IC, p. 617)
• A luz de Cristo – M. Luís (CEC II, p. 183| NCT 370| CN 144) (Harm: João Santos; Harm: D. Faustino)
• Esta luz de Cristo – V. Pereira (ELC, p. 5)
Senhor tu és a luz – Az. Oliveira (NRMS 6-I| IC, p. 566-567| CEC II, p. 182| NCT 273| CN 917)


[Siglas]

[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[CAC] P. Manuel Luís – Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3ª ed-, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CEC II] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1999.
[CN] Cantoral Nacional para a Liturgia, Secretariado Diocesano de Liturgia, Porto, 2003.
[CP I] P. António Ferreira dos Santos – Canto Perene, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019.
[ELC] Vitor Pereira (arranjos de José Joaquim Ribeiro) – Esta Luz de Cristo, Cânticos para a Liturgia, Paulinas.
[GD] P. Miguel Carneiro – Glória a Deus, Paulus Editora, Lisboa, 2006.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[LHC II] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 203.
[LHC III] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 3, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2012.
[NCT] Novo Cantemos Todos, Editorial Missões, Cucujães,1990.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] P. Carlos da Silva – Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[SDLP] Secretariado Diocesano de Liturgia do Porto
[SPC] Salmos para Cantar, Paróquia de Santa Isabel, Lisboa.
[SRAO A] P. António Azevedo de Oliveira – Salmos Responsoriais: Ano A, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga, 1989.
[SRMC A] P. Miguel Carneiro – Eu Vos Louvarei, Senhor: Salmos Responsoriais – Ano A, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRML] P. Manuel Luís – Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.