António Cartageno


Natural de S. Mamede de Ribatua (Alijó), é presbítero da Diocese de Beja. Entre Outubro de 1987 e Junho de 1994 estudou no Pontifício Instituto de Música Sacra de Roma, onde fez os mestrados em Canto Gregoriano e em Composição Sacra. Tem dedicado grande parte da sua vida ao ensino da Música, nomeadamente na Escola Mário Beirão, na antiga Escola do Magistério Primário e depois na Escola Superior de Educação de Beja. 
É autor de numerosas composições litúrgicas e outras, espalhadas por todo o país, com colaboração habitual nos Encontros Nacionais de Pastoral Litúrgica de Fátima, na “Nova Revista de Música Sacra “ de Braga e nas publicações musicais do Secretariado Nacional de Liturgia. Da sua produção musical destaca‐se a Cantata “Nª Sª da Conceição, Padroeira de Portugal” (1996), para solistas, Coro e Orquestra, para comemorar os 350 da proclamação de Nª Sª da Conceição como Rainha de Portugal, pelo Rei D. João IV, e apresentada em Vila Viçosa, Beja, Évora e Faro, a Cantata “Santo Agostinho, o cantor da sede de Deus”, (2004), para solista, Coro e Orquestra, encomendada pela Diocese de Leiria para comemorar os 1650 anos do nascimento do seu santo Padroeiro e já presentada 12 vezes em várias cidades do Centro e do Sul de Portugal e a Oratória “Fátima. Sinal de esperança para a humanidade” (2007), para solistas, grande Coro e
Orquestra, para assinalar os 90 anos das Aparições de Fátima e a inauguração da Igreja da SS.ma Trindade, já apresentada 9 vezes.
É Director do Secretariado Diocesano de Liturgia de Beja e membro do Serviço Nacional de Música Sacra.

                                                                                             Fonte: http://ipbeja.pt

5 comentários :

  1. Gosto muito do "novo visual" do blogue. Bem-haja pelo trabalho de o manter, para todos os que o utilizam, com obras de grande qualidade.
    Abraços musicais.
    José Moreira

    ResponderEliminar
  2. Gosto especialmente das harmonizações para órgão do Padre Cartageno. Sempre que posso utilizo-as. Em particular as dos salmos que todos conhecem. Mas por vezes chegam-me alguns cânticos avulsos que são deslumbrantes. É de longe o melhor compositor de música litúrgica actual. O Padre Manuel Luís que Deus tem era igualmente magistral mas noutra área, a das melodias. Posso dizer que evoluí bastante com as harmonizações do padre A. Cartageno.

    Deus o guarde por cá durante muitos anos.

    prof José Luz
    (organista nas Igrejas do Loreto e do Sacramento, de Lisboa)

    ResponderEliminar
  3. Como vão, meus caros? Algum de vocês teria a letra da música: Aspergi-me Senhor? Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar